Pesquisar

22 de mai de 2008

Quais são as influências de Aristóteles ainda hoje?

De forma sintética, eis aqui algumas concepções aristotélicas vigentes até hoje.
- A mais importante de todas: ele lançou as bases para o processo de causa e efeito como método da ciência, o método dedutivo que, partindo de duas premissas, chega-se a uma conclusão lógica, ou necessária. Aristóteles deu o ponta-pé inicial naquilo que séculos mais tarde seria chamado de ciência moderna.

- A crença de que tudo na natureza existe para suprir uma necessidade – a visão teleológica (explicação pelos fins) da natureza, ou seja, todas as coisas que estão aí foram postas para atender a algum fim. A decorrência da perspectiva teleológica foi a máxima aristotélica vigente até hoje: “a natureza não faz nada em vão”. A teoria de fundo para as explicações teleológicas vem das quatro causas fundamentais naturais: matéria, eficiente, formal e final.

- A teoria da hereditariedade em que pai e mãe deixam de herança para o filho a mistura dos seus sangues. Muito antes de Mendel e a sua teoria dos gametas, Aristóteles intuiu uma teoria da transmissão genética, deixando até hoje o conceito de que no embrião há a totalidade da pessoa em miniatura – no embrião há um adulto sob a forma potencial. A perspectiva aristotélica alimenta uma das correntes que se digladiam no debate ético sobre a pesquisa com as células tronco empregando embriões.

- Aristóteles criou a lógica.

- Criação da taxonomia (identificação pela descrição de características) por meio de chaves de classificação, empregada até hoje pela biologia e outras áreas do conhecimento para classificar espécies e objetos de diferentes naturezas.

- O empirismo como forma de se chegar a “verdade”. Aristóteles foi o pioneiro em afirmar que deveria haver investigação com as coisas, ele lançou as bases da pesquisa científica baseada em fatos. Uma das áreas mais onde o aristotelismo é mais dominante é a educação, onde os alunos são vistos como recipientes prontos para serem enchidos de informações.

- Algumas concepções de senso comum ainda sobreviventes: Os corpos mais pesados caem mais rápido do que corpos mais leves. O sol se movimenta no céu, enquanto as estrelas são esferas imóveis sustentadas na abóboda celeste. O cientificismo: “a ciência explica tudo” é uma concepção aristotélica repetida exaustivamente até os dias de hoje. As causa das doenças explicada à luz dos humores. Quando alguém se refere a uma pessoa como mal humorada, está sendo aristotélico, pois Aristóteles criou uma teoria das doenças baseada em quatro humores: sangue, bile branca, bile negra e inflamação. Daí que até hoje as pessoas de péssimo “humor” são classificadas como sanguíneas, melancólicas, biliosas, etc.

Filosofia, empirismo, cientificismo, lógica, dedução, método, quatro causas, ciência

6 comentários:

  1. Muitoo bom!!!!!

    ResponderExcluir
  2. muito bom ! estava precisando de algo assim, obrigado .

    ResponderExcluir
  3. Ótimo, acho que não tinha como explicar de forma mais clara. Me ajudou muito, muito obrigada.

    ResponderExcluir
  4. conteúdo fraco

    ResponderExcluir
  5. Meu Deus!!! Demorei um ano pra achar o conteudo que precisava. Porcaria...

    ResponderExcluir
  6. bom percebi um erro....na ultima parte sobre o senso comum....material mais pesado desce mais rapido que um mais leve...ERRADO:O TEMPO DE QUEDA NÃO DEPENDE DA MASSA...

    ResponderExcluir