Pesquisar

20 de jul de 2008

As vacinas causam Autismo?

Se até o governo norte-americano está reconhecendo discretamente a associação Autismo-Vacinas, como ficam os pais diante do dilema de vacinar ou não seus filhos, sabendo que estarão expondo-os à doses crescentes de toxidade do elemento mercúrio, que pode causar nas suas crianças danos neurológicos irreversíveis?

Num primeiro artigo publicado na Revista Ciência Hoje nº 176/2001, o assunto vacinas X autismo foi abordado sob o singelo título “Autismo é associado a uso excessivo de vacinas”. Sete anos depois, o mesmo assunto volta à baila na mesma revista, porém desta vez como reportagem de capa, várias páginas e com um título bem mais bombástico “Vacinas versus Autismo, qual o risco real?

As acusações sobre as vacinas não recaem propriamente sobre o seu princípio ativo, mas sobre uma substância derivada do mercúrio, o timerosal, usado como conservante de vacinas. Ora, é sabido que o elemento mercúrio é altamente tóxico para todas as formas de vida, tanto que é usado para proteger as vacinas da contaminação por bactérias. Os danos do mercúrio se dão principalmente sob a forma de degenerações sobre o sistema nervoso central. Um dos efeitos mais devastadores da contaminação por mercúrio, como os verificados no desastre da baia de Minamata, é que a introdução deste elemento no corpo humano tem efeitos cumulativos. Ou seja, ele não é expelido naturalmente do organismo.

A grande discussão mundial sobre as vacinas conservadas por timerosal se estabelece quando se vê que o número de doses de vacinas que são injetadas nas crianças aumenta cada vez mais. Cada dose de vacina contém de 12,5 μg a 25 μg de mercúrio e cada dose de vacina tríplice + vacina antigripal pode ter de 25 μg a 50 μg deste elemento. Segundo a agência ambiental norte-americana (EPA), qualquer líquido que contenha mais de 0,2 μg de mercúrio, deve ser considerado resíduo perigoso. Ora, nas crianças vacinadas regularmente seguindo o calendário oficial, são injetadas quantidades de mercúrio 60 a 250 vezes maiores do que os níveis residuais considerados perigosos.

A ANVISA, Agência Brasileira de Vigilância sanitária teima em fechar os olhos ao problema, decretando que “a imunização com vacinas contendo tiomersal continua oferecendo excelentes benefícios à população em geral, incluindo recém-nascidos”.

Apesar do Brasil ter proibido a produção de medicamentos contendo mercúrio em 2001, foi liberado o seu uso como conservante de vacinas. Assim, como sempre assumindo o papel de Pilatos, o governo, ao mesmo tempo em que proíbe o veneno em remédios, permite que o mesmo veneno seja inoculado em crianças em pleno desenvolvimento neurológico.

Ao longo dos anos tem havido na comunidade científica questionamentos cada vez maiores sobre o aumento significativos da incidência de crianças autistas. Acreditava-se que no passado o autismo afetava 4 a 5 crianças por 10 mil. Hoje a estatística é de aproximadamente uma criança desenvolvendo autismo a cada 150 crianças normais, até os oito anos de idade.

Enquanto os interesses econômicos se digladiam e os governos se omitem, cada um puxando a sardinha para o seu assado, como ficam os pais diante da decisão de vacinar ou não vacinar? Uma mãe desabafa declarando que decidiu, depois de muito pesquisar, não vacinar o seu segundo filho. Na Grã Bretanha os pais estão com medo de vacinar e muitos, mesmo correndo o risco dos seus filhos contraírem sarampo, preferem não correr o risco dos danos irreversíveis causados pelo mercúrio.

Cabe aos pais de crianças em idade de vacinação se informar muito sobre o assunto, que é vasto e complexo, para não se deixar engrupir pelo ufanismo das campanhas oficiais de vacinação em massa.

Leituras adicionais:
Em busca de vacinas mais seguras.
Vacinas provocam Autismo?
Autismo e vacinação infantil.

mercúrio, vacina, autismo, timerosal,crianças, contaminação, danos neurológicos

Um comentário:

  1. estou passando neste blog para divulgar um site que eu criei
    sobre autismo para poder ajudar os familiares de pessoas
    autistas a entenderem mais sobre autismo o site é este aqui


    www.portaldoautismo.site88.net


    grato pela atenção, muito obrigadoe tenha um otimo dia.

    ResponderExcluir