Pesquisar

27 de jul de 2008

O que é Sugar Blues?

Tal expressão em inglês pode ser traduzida como tristeza causada pelo açúcar branco. Ela foi cunhada pelo jornalista norte-americano Willian Dufty num livro famoso Sugar Blues – O gosto amargo do açúcar, nas décadas de 70 e 80 que relata de maneira radical os malefícios do açúcar refinado sobre a saúde humana.

A síndrome do consumo de açúcar refinado é extremamente simples de explicar e muito mais fácil de sentir. Como é um produto do qual foram descartados os demais aminoácidos presentes no melado e no açúcar mascavo, restando a sacarose somente, ele se transforma em energia pura no organismo. Qual é o problema disto? Todo o problema do açúcar começa no seu tempo de digestão – que por ser extremamente rápido, provoca descargas incríveis de insulina no pâncreas e de adrenalina no cérebro.

Horas depois de farta ingestão de açúcar branco, sobrevém o cansaço, a moleza, a enxaqueca, quando o viciado sente vontade de novamente ingerir a sua droga, para refazer um novo ciclo eufórico-depressivo.

A associação indissolúvel açúcar-obesidade-diabetes.
A obesidade é uma doença epidêmica no mundo civilizado que levanta uma questão: por que o obeso não tem força de vontade para mudar os seus hábitos e não encontra forças para fazer exercícios regularmente?

A explicação pode estar nos efeitos colaterais causados pelo açúcar no corpo humano. A indolência típica dos gordos pode ser explicada pelo viés do açúcar visto na categoria de droga e o obeso na de viciado. Sob o efeito da letargia pós-ingestão de alimentos ricos em doçuras, a síndrome da obesidade se estabelece em círculo vicioso, onde a ingestão de mais açúcar serve para amenizar o porre anterior e assim por diante.

Calma aí! A solução não é e nem pode ser os adoçantes artificiais.
Um caminho freqüentemente escolhido pelos portadores do mal da balança é a opção por adoçar os alimentos com produtos dietéticos a base de aspartame, ciclamato monossódico, acessulfame-K, sacarina sódica, etc. Porém, será que os adoçantes artificiais emagrecem? Ao contrário, tais substâncias químicas têm baixa toxidade, porém com efeito cumulativo. Em longo prazo, a tendência dos usuários em refrigerantes diet, light e adoçantes artificiais é recrudescer o seu problema, que se encaminha a passos firmes para o diabetes, devido ao envenenamento progressivo do pâncreas e a sua decorrente inutilização para a produção de insulina.
No curto prazo, o mínimo que se pode dizer é que os adoçantes químicos são ineficientes.

Em todo caso, todas as pessoas interessadas em abandonar as altas calorias fornecidas generosamente pelo açúcar branco, na ânsia de procurar sucedâneos saudáveis, devem se informar sobre o perigo dos adoçantes artificais.

Leitura adicional:
Sugar Blues: O gosto amargo do açúcar.
Açúcar vício moderno e perigoso.
Por que os médicos prescrevem Aspartame?

Açúcar refinado, calorias, diabetes, aspartame, sacarina sódica, ciclamato monossódico

3 comentários:

  1. obrigada pelo seu comentário no meu blog. O estudo da sua esposa parece ser muito interessante e realmente desde que evitei o açucar perdi bastante peso, nao pelo que engorda em si, mas porque abre o apetite.

    ResponderExcluir
  2. O açúcar engorda por si mesmo porque é constituído de calorias isoladas. A maioria dos alimentos possui calorias "presas" em fibras e outros componentes estruturais, já o açúcar branco é praticamente carbohidrato puro, a base essencial que o corpo se utiliza para fabricar a gordura, lipídios.

    ResponderExcluir
  3. Sim, sem duvida, mas o maior problema do açucar é abrir o apetite, levando a um ciclo vicioso de consumo de hidratos carbonos simples e por isso a obesidade.

    ResponderExcluir