Pesquisar

25 de jul de 2008

Como tornar o seu computador seguro em 10 lições?

Uma dúvida freqüente dos usuários que usam seu PC para realizar acessos a bancos, compras pela Internet com cartão de crédito, é se ele pode confiar que as suas informações sigilosas não estão sendo repassadas a cibercriminosos. O problema dos leigos é que os textos sobre segurança são tão especializados, que não são entendidos pelos usuários sem grande de bagagem de conhecimento informático. Sabendo que quase 100% das vítimas de golpes via internet são de usuários leigos, torna-se importante abandonar a linguagem empolada dos NERDS e tentar explicar as coisas da maneira mais simplificada possível.
Ter um computador confiável necessariamente implica em custos na compra de aplicativos e em comportamento seguro:

1) Sistema operacional.
Os usuários que preferiram, por razões de economia, comprar o seu computador sem sistema operacional (SO) e instalaram um pirata, nem precisam dos próximos testes. O SO legítimo e atualizado é a base de toda a segurança num computador, já todos os vírus são escritos se aproveitando de falhas nele. A esmagadora maioria de vítimas de roubo de senhas e invasões têm SO desatualizado. Caso você não queira de jeito nenhum gastar dinheiro com sistema operacional, saia do Windows e use o Linux.

2) Antivírus, antispyware e Firewall.
Se você não tem dinheiro para comprar uma solução integrada de segurança e prefere confiar na eficiência dos softwares “gratuitos”, nem precisa seguir adiante. Não há softwares gratuitos que oferecem a solução integrada de antivírus, antispyware e firewall integradas, então considere seriamente a compra de um dos pacotes do mercado chamados de “Internet Security”.

3) Recorra eventualmente a uma segunda opinião.
Parabéns, se você chegou até aqui, então é hora de falar sobre o fator paranóia. Nunca confie exclusivamente numa única suíte de segurança. Escaneie seu computador eventualmente com um dos scanners online disponibilizados pelos fabricantes de antivírus. Escolha um outro tipo de antivírus que não seja o seu, para fazer uma espécie de auditoria, comprovando a eficiência da sua escolha. Veja alguns links de scan oline: Kaspersky, Bitdefender, Trendmicro, Symantec, NOD32, McAfee.

4) Escolha do Browser.
O programa de navegação de internet mais visado pelos criadores de vírus é o Internet Explorer da Microsoft. Por ser o programa que equipa mais de 50% dos computadores do mundo, suas falhas de segurança são extenuatemente exploradas pelos cibercriminosos. Considere em usar um Browser mais seguro, tal como o FireFox, Mozilla, Opera, Safari, etc.

5) Uso de programas de comunicação instantânea MSN, Skype e compartilhadores de arquivos.
Quem usa programas de chat é sempre uma vítima em potencial. Os hackers conseguem obter os endereços das vítimas e perpetrar ataques, caso o computador não tenha passado num dos três testes acima. A mesma coisa pode ser dita quanto à conexão com os programas de compartilhamento do tipo Emule, Kazaa, Morpheus, Lime Wire, Torrent, etc. Par que você possa habilitá-los a funcionar normalmente, tem que desabilitar os recursos avançados do Firewall de proteção à abertura de portas, uma maneira dos invasores oportunistas terem acesso ao seu computador.

6) Uso do Orkut.
Uma dos grandes erros dos usuários é navegar incondicionalmente no Orkut sem proteção contra scripts. Scripts são linhas de código escrita que são inseridas nos perfis e comunidades. Uma forma de combater os scripts maliciosos é instalar no browser Fire Fox o add-on que desativa scripts, o NOSCRIPT.

7) Uso de programas piratas crackeados.
Quem usa programas crackeados corre riscos que o programa que foi modificado para rodar sem a licença original, tenha tido o seu código alterado para inocular vírus no computador da vítima. Por isto o teste o Internet Security do item 2 é essencial.

8) Jogos online em servidores piratas
Tem aumentado absurdamente as infecções por vírus originadas dos jogos online que usam servidores piratas. Segundo a empresa ESET, certa de 13,12 % do total de infecções registradas em junho/2008 se deu através dos jogos online.

9) Navegação em sites pornográficos.
A voluptuosidade com que os internautas recorrem aos sites pornográficos os impelem a aceitar a instalação de CODECS e players e supostamente possibilitariam a visualização dos vídeos disponibilizados “gratuitamente”. Tais aplicativos normalmente contém vírus e Trojans que se instalam nos computadores das vítimas, que pagam um alto preço por usarem os seus computadores em atividades “for fun”.

10) Emails perigosos, links, instalação de atualizações e phishing.
As regras de comportamento internético seguro mais básicos que existem advertem contra a abertura de emails estranhos. Não há o que adicionar sobre os golpes via email, que já são quase tão velhos quanto o conto do bilhete. Porém, tanto um quanto o outro continuam arregimentar otários porque a ignorância é a força motriz que move o mundo. O golpes de phishing se dão quando sob diversas circunstâncias o usuário pensa que está entrando no site do seu banco, loja, Orkut, ou qualquer outro de uso freqüente e se trata de um site falso, criado para roubar senhas. Para evitar o phishing, o internauta deve checar endereço real do endereço visitado. Este Site dá algumas dicas sobre como evitar links falsos.

Vírus, phishing, Orkut, MSN, senhas, hacker, cibercriminosos, email

Nenhum comentário:

Postar um comentário